NOTÍCIAS

O INVERNO E OS PROBLEMAS DE PELE

post5
Ressecamento, desidratação e perda da barreira protetora contribuem para o aparecimento de algumas doenças

Com as baixas temperaturas e o clima seco, a pele retém menos umidade e pode sofrer com a desidratação, principalmente aquelas mais secas. De acordo com a médica dermatologista Cláudia Sandri, alguns hábitos comuns do inverno, como banhos mais quentes e demorados, são extremamente prejudiciais, pois o contato prolongado da água quente com a pele promove o ressecamento e retira a camada de gordura superficial, responsável pela retenção da água e defesa da entrada de fungos, bactérias e agentes químicos.

Esse “caminho livre” para infecções e inflamações podem causar diversos danos, por isso, pedimos para a profissional listar cinco problemas de pele que aparecem principalmente durante a estação mais fria do ano. São eles:

  • Psoríase: Essa é uma doença que causa placas avermelhadas e descamativas na região dos cotovelos e lesões no couro cabeludo. Em casos mais graves, podem até levar a queda secundária dos cabelos. Geralmente sua piora é ligada ao estado emocional do indivíduo, mas a falta de hidratação durante o inverno pode aumentar as lesões e coceiras;
  • Ictiose vulgar: É uma doença mais rara caracterizada por peles muito secas e com lesões semelhantes a escamas de peixe. Nesse caso, o dermatologista deve orientar hidratantes especiais para o inverno e em alguns casos, medicações via oral são necessárias;
  • Rosácea: A ingestão de alimentos quentes, como sopas e chás, uso de aquecedores, além da temperatura elevada do banho pode desencadear novas crises dessa doença inflamatória cutânea.
  • Dermatite seborreica: Banhos mais quentes desidratam a pele, que em contrapartida, produz mais sebo para compensar essa desidratação. Essa ação traz consequências, como a possibilidade de maior proliferação de fungos, piorando os quadros de dermatite seborreica, mais conhecida como caspa, que além do couro cabeludo aparecem em outras regiões da face, como ao lado do nariz e entre as sobrancelhas. As lesões são vermelhas e descamativas.
  • Dermatite atópica: É um tipo de alergia ligada ao ressecamento da pele, sendo mais frequente em crianças. Ela apresenta lesões avermelhadas, principalmente atrás dos joelhos, pescoço e nas dobras dos braços, mas pode acometer o corpo todo. Banhos quentes e demorados que causam desidratação, podem piorar as crises.

Para a manutenção de uma pele saudável é preciso entender suas características. Por exemplo, você sabe diferenciar a pele seca da desidratada?

A seca é um tipo de pele que tem uma produção deficiente de sebo ou oleosidade e pode ser causada por fatores emocionais, menopausa, ou até mesmo determinação genética, e além do rosto, pode estar presente em diferentes partes do corpo, como joelhos, cotovelos e pernas. Já a pele desidratada possui falta de água em sua superfície, que pode ser causada por lavagens excessivas, uso de buchas, falta de hidratantes ou uso de produtos inadequados. É uma situação temporária da pele. Ah, vale lembrar que peles oleosas não estão livres da desidratação.

Já deu para perceber que no inverno os cuidados devem ser redobrados, não é mesmo? Então é hora de anotar esse checklist preparado pela dermatologista:

  • Tome apenas um banho ao dia e evite o uso de buchas. Elas aumentam o ressecamento da pele e podem piorar as dermatites. Prefira sabonetes líquidos que tem o PH mais parecido com o da pele;
  • Evite lavar rosto ou corpo com água muito quente, dê preferência pela água morna;
  • Hidrate a pele do rosto todos os dias 2 vezes ao dia e, de preferência, imediatamente após a lavagem. Use cremes apropriados para cada tipo de pele: seca, mista ou oleosa. Hidrate o corpo pelo menos 1 vez ao dia. Atenção à limpeza das peles secas: evite produtos muito agressivos que podem piorar o ressecamento;
  • Evite esfoliações na pele mais do que 1 vez por semana. Para uma limpeza mais profunda, utilize as águas micelares que limpam sem agredir a pele e que já possuem agentes hidratantes;
  • Beba pelo menos 2 litros de água ao dia e mantenha uma dieta equilibrada;
  • Use hidratantes específicos para a região dos pés e cotovelos;

ATENÇÃO: Se você possui alguma dessas ou outras doenças de pele, procure orientação de um médico dermatologista, pois ele poderá indicar o produto e método mais adequado para cada tratamento.

plugins premium WordPress